Blog do Grupo de Teatro Cemitério de Automóveis
     
Histórico
28/06/2009 a 04/07/2009
14/09/2008 a 20/09/2008
03/08/2008 a 09/08/2008
27/07/2008 a 02/08/2008
20/07/2008 a 26/07/2008
13/07/2008 a 19/07/2008
06/07/2008 a 12/07/2008
22/06/2008 a 28/06/2008
25/05/2008 a 31/05/2008
09/12/2007 a 15/12/2007
11/11/2007 a 17/11/2007
04/11/2007 a 10/11/2007
29/04/2007 a 05/05/2007
22/04/2007 a 28/04/2007
15/04/2007 a 21/04/2007
08/04/2007 a 14/04/2007
01/04/2007 a 07/04/2007
25/03/2007 a 31/03/2007
18/03/2007 a 24/03/2007
11/03/2007 a 17/03/2007
04/03/2007 a 10/03/2007
18/02/2007 a 24/02/2007
11/02/2007 a 17/02/2007
21/01/2007 a 27/01/2007
10/12/2006 a 16/12/2006
03/12/2006 a 09/12/2006
26/11/2006 a 02/12/2006
19/11/2006 a 25/11/2006
12/11/2006 a 18/11/2006
05/11/2006 a 11/11/2006
29/10/2006 a 04/11/2006
22/10/2006 a 28/10/2006
15/10/2006 a 21/10/2006
08/10/2006 a 14/10/2006
10/09/2006 a 16/09/2006
06/08/2006 a 12/08/2006
02/07/2006 a 08/07/2006
25/06/2006 a 01/07/2006
18/06/2006 a 24/06/2006
11/06/2006 a 17/06/2006
04/06/2006 a 10/06/2006
28/05/2006 a 03/06/2006
21/05/2006 a 27/05/2006
14/05/2006 a 20/05/2006
07/05/2006 a 13/05/2006
30/04/2006 a 06/05/2006
23/04/2006 a 29/04/2006
16/04/2006 a 22/04/2006
09/04/2006 a 15/04/2006
02/04/2006 a 08/04/2006
26/03/2006 a 01/04/2006
19/03/2006 a 25/03/2006
12/03/2006 a 18/03/2006
05/03/2006 a 11/03/2006
19/02/2006 a 25/02/2006
12/02/2006 a 18/02/2006
29/01/2006 a 04/02/2006
25/12/2005 a 31/12/2005
18/12/2005 a 24/12/2005
11/12/2005 a 17/12/2005
04/12/2005 a 10/12/2005
06/11/2005 a 12/11/2005
30/10/2005 a 05/11/2005
23/10/2005 a 29/10/2005
25/09/2005 a 01/10/2005
18/09/2005 a 24/09/2005
11/09/2005 a 17/09/2005
04/09/2005 a 10/09/2005
28/08/2005 a 03/09/2005
21/08/2005 a 27/08/2005
07/08/2005 a 13/08/2005
31/07/2005 a 06/08/2005
24/07/2005 a 30/07/2005
17/07/2005 a 23/07/2005
10/07/2005 a 16/07/2005
03/07/2005 a 09/07/2005
26/06/2005 a 02/07/2005
19/06/2005 a 25/06/2005
12/06/2005 a 18/06/2005
29/05/2005 a 04/06/2005
22/05/2005 a 28/05/2005
15/05/2005 a 21/05/2005
08/05/2005 a 14/05/2005
01/05/2005 a 07/05/2005
24/04/2005 a 30/04/2005
17/04/2005 a 23/04/2005
10/04/2005 a 16/04/2005
03/04/2005 a 09/04/2005
27/03/2005 a 02/04/2005
20/03/2005 a 26/03/2005
13/03/2005 a 19/03/2005
06/03/2005 a 12/03/2005
27/02/2005 a 05/03/2005
20/02/2005 a 26/02/2005
13/02/2005 a 19/02/2005
06/02/2005 a 12/02/2005
30/01/2005 a 05/02/2005
23/01/2005 a 29/01/2005
16/01/2005 a 22/01/2005
09/01/2005 a 15/01/2005
02/01/2005 a 08/01/2005
26/12/2004 a 01/01/2005
19/12/2004 a 25/12/2004
12/12/2004 a 18/12/2004
05/12/2004 a 11/12/2004
28/11/2004 a 04/12/2004
21/11/2004 a 27/11/2004
14/11/2004 a 20/11/2004
07/11/2004 a 13/11/2004
31/10/2004 a 06/11/2004
24/10/2004 a 30/10/2004
17/10/2004 a 23/10/2004
10/10/2004 a 16/10/2004
26/09/2004 a 02/10/2004
12/09/2004 a 18/09/2004
05/09/2004 a 11/09/2004
29/08/2004 a 04/09/2004
01/08/2004 a 07/08/2004
25/07/2004 a 31/07/2004
27/06/2004 a 03/07/2004
13/06/2004 a 19/06/2004
06/06/2004 a 12/06/2004
30/05/2004 a 05/06/2004
23/05/2004 a 29/05/2004
16/05/2004 a 22/05/2004
09/05/2004 a 15/05/2004
02/05/2004 a 08/05/2004
25/04/2004 a 01/05/2004
11/04/2004 a 17/04/2004
04/04/2004 a 10/04/2004
28/03/2004 a 03/04/2004
21/03/2004 a 27/03/2004
14/03/2004 a 20/03/2004
07/03/2004 a 13/03/2004
Outros sites
Cemitério em Cenas
Mário Bortolotto
Fernanda D´Umbra
Marcelo Montenegro
Bactéria
Marcello Amalfi
Paulinho Pankada
Marisa Lobo Viana
Teatro dos Satyros
Parlapatões
G7
Grupo Folias
Armazem
Sutil Companhia de Teatro
Mauro Mello
Sebastião Millaré
Sam Shepard
Eric Bogosian
David Mamet
Jim Jarmusch


O que é isto?
 


FESTA SEGUNDO O CEMITÉRIO DE AUTOMÓVEIS

Hoje acontece a festa de encerramento de atividades do ano. A gente tem que terminar com festa. É de lei. Esse ano a gente apronta a bagaça no Santo Bar (Bar do Rômulo e da Eliana - irmã da Fernanda).

Ontem foi o último dia da peça "O que restou do Sagrado". Uma hora antes, o espetáculo já tava lotado. A gente volta no dia 24 de Janeiro. Após o espetáculo, bebi como de praxe com a rapaziada. O Nick e o Gobatto apareceram por lá e a gente ainda foi jogar um bilhar. Hoje de manhã tava dormindo o meu sono injusto quando o telefone toca insistentemente. Fui atender e era o maluco do Jota Eme no telefone avisando que tá vindo pra cá e trazendo o seu curta sobre Mr. Charles Bukowski. Ia sair de Curitiba ao meio dia e chegar aqui às 6. Já tava meio alterado ao telefone. Imagino como é que ele vai estar quando chegar aqui. Deve vir com o Marcelinho e com a Paulinha. Du caralho. Então quer dizer que hoje tem estréia paulistana do vídeo que o JM aprontou sobre nosso velho Mestre. Genial. A programação vai ser mais ou menos a seguinte:

21h - Exibição do vídeo "Bukowski - 10 anos sem um gole- Direção de Jota Eme.

21h30 - Exibição de vídeos da Bedrock Vídeo (Marcelo Montenegro, Batata, Negão e Presidente)

Eu não sei o que o Marcelo andou aprontando para exibir nessa noite. Pesquei em algumas conversas que vai ter "A Muqueca do Dr. Cascadura", "Régis cantando Porto Solidão (Puta que pariu)" e quem sabe, o Amalfi imitando Elvis Presley em noite antológica no Next. Sei lá, me parece um programa bizarro e instrutivo, mas acima de tudo, extremamente divertido.

22h30 - Show da Banda Tempo Instável - Vai ser um show da pocket banda (Amalfi, Noa e eu). Fernando e Davi não poderão comparecer. A gente deve tocar alguns blues e rocks vagabundos de nossa bêbada autoria e alguns covers de amigos. Se o Linari aparecer, será prontamente intimado a cantar nossa versão soft da clássica Juke Box.

23h00 - Show da Banda Jazzie e os Vendidos - Clarah Averbuck e Marcelo mostram composições próprias e alguns rocks infáliveis. A Clarah canta bem pra caralho e o Marcelo é um ótimo guitarrista. É noite de conferir, pra quem ainda não conhece.  

24h - Exibição em primeira mão do novo clip da Banda Dr. Cascadura. Deve estrear na MTV em dez dias. Na festa, vocês poderão ver pela primeira vez o clip dos caras. Acho que também vou levar o antigo, o "Retribuição".

0h30 - Show com a Banda Dr. Cascadura - Os baianos mostram o melhor rock and roll. Show fudidaço. Quem já viu, sabe do que tô falando.

E entre os shows, a seremos agraciados com leituras de poesias por Ademir Assunção (Pinduca), Marcelo Montenegro e Sérgio Mello. Aliás, todos os meus livros, os da rapaziada e CDs do Dr. Cascadura estarão a venda no Bar. Ainda deve ter livros do Nilo de Oliveira que vai estar lá também.

E é claro, que embora não estejam confirmados, amigos do naipe de Edvaldo Santana, Madan, Careqa, Flávio Vajman, Paulão e outros, se aparecerem por lá, serão prontamente intimados a subir ao palco.

Os Bêbados Habilidosos, infelizmente não puderam vir esse ano, mas a gente vai tocar "Mutantes" em homenagem aos caras.

Nos intervalos, prometo deixar alguns blues purificando o ambiente.

A produção da festa é da Fernanda e a rapaziada toda tá dando uma força pra que tudo seja muito maneiro.

É claro que esse horário que eu coloquei aí pode ser totalmente subvertido (e será). É só uma tentativa de organizar a bagaça. Geralmente não dá certo. A verdade é que o negócio começa as 21h e não tem hora pra acabar.

Hoje - Quinta-Feira (dia 16/12)

A partir das 21h

Santo Bar

Rua Rui Barbosa, 214 - Bela Vista (quase em frente ao Teatro Sérgio Cardoso) 

 

Na sexta-feira a gente se manda pra Chacara da Ester & do Piero pra começar As Churrasquianas. Os amigos interessados em ir, liguem pra mim e eu passo as coordenadas.

 



 Escrito por Cemitério de Automóveis às 12h30
[] [envie esta mensagem]




O QUE RESTOU DO SAGRADO - ÚLTIMO DIA

A apresentação de ontem foi du caralho. Platéia lotada. A de hoje promete.

Mandei o texto pro Jorge Cardoso por e-mail. Ele tava no barato de ler e eu por outro lado, queria muito saber a opinião dele. Ele leu, lá em pleno inverno sueco, e me respondeu. Sua análise do texto, como era de se esperar, é das mais espertas e precisas. Saquem só o que ele escreveu.

Mário, tem uns dois dias que acabara de ler o texto "O
que restou do sagarado". A sondagem que tu fizestes
desta força subterrânea, eu diria magnética que faz
com que os personagens comecem a confessar todas as
atrocidades, a caveira que cada um esconde no
guarda-roupas, eu te parabenizo por isso, rapaz. Você
conseguiu retratar, e ao mesmo tempo criar a tal
escuridão visível porém tátil que se utiliza não do
padre, mas através dele [ele sente-se confuso,
irritado também, não é mesmo?] como catalizador da
tensão dramática trazendo a tona 2005 anos e mais um
pouco ou até mais daquilo que nos alimenta em imagem,
vida, paixão e ação. gostaria de ter assistido a peça,
mas talvez tenha... hein...

fiquei muito feliz pelo presente.
Obrigado. siga firme!
e em paz, amen.

Jorge Cardoso.

E o Nick, que assistiu a peça ontem, também escreveu uma análise sobre ela em seu blog (com link no meu blog pessoal). Transcrevo aqui:

Transcendência impossível.

O que restou do sagrado by Mário Bortolotto.

Quando a Pandora abriu a caixa, ainda restava no fundo a esperança. Na peça do Bortolotto não há. No palco, o que normalmente deveria ser altar dos atores tem cheiro de matadouro. Um a um vai escorregando pelo corredor escuro e a carne endurecendo. A vida é cacofônica. Todas as vozes dissonantes apontam para uma só direção: sem redenção. A confissão de culpa que beira insanidade remove dos personagens o pouco que ainda resta da humanidade. Mas, Deus não está alí. Entre todas as dúvidas, essa é a única certeza, mesmo com todas as verdades ponti-agudas. Com toda humanidade reduzida a aberração e contorcendo por entendimento das suas ações ambivalentes, todos agonizam no corredor a espera da lâmina. Aqui, só há queda. A ausência da fé é a prova disso. Ninguém acredita em absoltamente nada. Só resta saber se Deus com toda sua oniscienência e onipresença, será onipotente em redimí-los. Mesmo que todos coloque em xeque a sua existência e ninguém acredite na redenção. 

                                                                  (Nick)

O Que Restou do Sagrado

Hoje - Último dia

Espaço dos Satyros

Praça Roosevelt, 214

Tel: 3258-6345

21h30 - Ingressos : R$ 10

As fotos são de Hélio Dusk




 Escrito por Cemitério de Automóveis às 06h02
[] [envie esta mensagem]




O QUE RESTOU DO SAGRADO - PENÚLTIMO DIA

Aí um amigo chega pra mim e fala: Vou lá assistir vocês. Eu digo: Legal, mas chega cedo, compra o ingresso e fica tomando uma cerveja no "La Barca" enquanto espera a hora de começar a peça. O cara ri como quem entendeu. Mas não entendeu. E chega em cima da hora. E fica de fora porque tá lotado. Não é brincadeira. Na última quarta-feira ficaram umas 30 pessoas pra fora. Não tô contando isso numas de me gabar não. Foda-se essa merda. Já cansei de apresentar peça pra cinco pessoas na platéia. Mas às vezes acontece esse negócio de lotar. E é por isso que eu tô avisando: Cheguem cedo.

O Que Restou do Sagrado

Terça e quarta (últimos dias)

Espaço dos Satyros

Praça Roosevelt, 214

Tel: 3258-6345

21h30 - Ingressos : R$ 10

As fotos são de Hélio Dusk




 Escrito por Cemitério de Automóveis às 10h11
[] [envie esta mensagem]


[ ver mensagens anteriores ]